TUDO TEM SUA HORA NA VIDA

TUDO TEM SUA HORA NA VIDA

                                               “A visão sistêmica também tem o momento certo de chegar até você”

 

Como vou saber que o que está acontecendo em minha vida terá algo haver com a visão sistêmica? Muitas pessoas me falam sobre isso, na rua, na academia, na lanchonete e mesmo nos atendimentos terapêuticos. Quando entendemos que estamos ligados uns aos outros, então entendemos que tudo é sistêmico. Que fazemos parte de vários sistemas. Você é um sistema completo, que funciona de acordo com as conexões entre as partes, se seu sistema digestivo não estiver funcionando bem, trará dificuldade aos outros sistemas de seu corpo, certo? Por isso quando alguma coisa começa a ficar em disfunção a sua volta é necessário olhar para isso. O que causa danos em você são as emoções que não faram vistas que não foram acolhidas, a somatização vai causar o sintoma como disse antes. O que levamos para a vida como agimos diz respeito ao que de alguma forma recebemos. Amor, afeto carinho, presença.

A diferença é que necessitamos de mais, e esse mais nunca vai chegar porque você já recebeu o que tinha de direito, no livro onde estão as moedas o autor Joan Garriga, nos fala sobre as necessidades não vistas.

“Tudo tem sua hora na vida: a hora de chegar, a hora de permanecer e de partir. Uma metade da vida é para subir a montanha e gritar aos quatro ventos “Eu existo!” E a outra metade é para o declínio até o vazio, onde tudo é desprender-se, alegrar-se e celebrar. A vida tem seus assuntos e seus ritmos sem deixar de ser o sonho que sonhamos.” p.(23)

Pergunto a você caro leitor quando foi que sua vida deixou de ter um significado, quando foi que deixou de sentir-se a si mesmo até mesmo no banho? Tudo o que faz é no automático, tudo o que vivencia é indiferente, come, bebe, respira, tudo é igual todos os dias. Já não se importa se muda ou se fica da mesma forma. Quando nos tornamos perpetradores de nós mesmos? Quando nos perdemos em um grande abismo de incompreensão, angústia e ansiedades, nos colocando a desejar que outros nos deem o que não somos capazes de nos dar. Pensa até mesmo em desistir, mas essa desistência não é porte nem dificuldade do outro, ela é sua, totalmente sua. É sua responsabilidade voltar para você assim como se foi, é um grande percurso a percorrer e só pode ser feito por você mesmo!

Sim é preciso ter atitude, é preciso mudar para que possa finalmente buscar o que deixou para traz quando, suas emoções não foram vistas, quando suas necessidades não foram atendidas. Só você pode resgatar-se de si mesmo. O profissional lhe mostra o caminho, ilumina o caminho. Mas só você pode caminhar, só você pode dar o primeiro passo de volta para si. Quando entendemos que as pessoas mais importantes do mundo somos nós mesmos, começamos a entender que é por nós e não pelo outro que melhoramos e nos tornamos presentes para nós mesmos. Estar presente tem sido uma das maiores dificuldades da humanidade traumatizada que nos transformamos. Sim, em muitos momentos somos como zumbis repetindo, andando e falando o que as outras pessoas nos disseram, o como agiram conosco, passamos a reproduzir esses conceitos e sentimentos, sem que percebamos o que estamos fazendo. Faz sentido para você? Tem passado por isso? Ou está tão distante de si mesmo, que nem percebeu?

Te faço um convite a voltar para você a partir dessa leitura, comece com o simples gesto de colocar um horário no seu dia em que não estará conectado a nenhuma tela. Em que contemplará o belo que existe a sua volta. Ou ler algumas páginas de um livro iniciado a muito tempo. E quando fizer isso, sinta como se sente fazendo algo diferente das telas, diferente do automático. Experimente algo novo, um sabor, uma refeição, um novo amigo, um novo passeio, um novo você. Comece a prestar atenção ao que faz, é porque realmente gosta e quer fazer, ou é para agradar os outros, para se sentir pertencente a um grupo. ONDE FOI QUE SE PERDEU DE VOCÊ? Não sabemos, porque vamos deixando pequenas partes ao longo da vida, quando fomos julgados, quando fomos esquecidos, quando não fomos tratados da forma que merecíamos, quando rompemos um relacionamento, quando perdemos alguém importante ou quando resolvemos que sermos racionais seria melhor que sentimentais. E Então os sintomas começaram a aparecer. E ficamos sem saber de onde ou quando chegaram.

VOCÊ É MUITO MAIS QUE UM SINTOMA OU UM VÍCIO!!

 

Ana Claudia de Carvalho

 

Terapeuta Sistêmica e IoPT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Enviar Whats
Precisa de Ajuda?